Valores da fração da radiação fotossinteticamente ativa absorvida (FAPAR)

A Fração da Radiação Absorvida pela Vegetação Fotossinteticamente Ativa (FAPAR) define a fração de Radiação Fotossinteticamente Ativa (400-700 nm) absorvida pelas folhas verdes do dossel florestal e, portanto, traduz a capacidade vegetação verde de absorver energia. A FAPAR depende da estrutura do dossel e das folhas, bem como das propriedades óticas do solo e das condições de irradiância.

O produto FAPAR é considerada uma das variáveis fundamentais para o estudo o sistema terreste no contexto de mudança global. É uma variável essencial em modelos que avaliam a produtividade primária da vegetação e nos modelos de ciclo de carbono que implementam os esquemas mais recentes de caracterização dos processos de superfícies terrestres. Além disso, o produto FAPAR é um indicador da saúde da vegetação e apresenta uma boa correlação com o índice de área foliar (LAI), principalmente para dosséis saudáveis e totalmente desenvolvidos.

O produto FAPAR tem a resolução espacial do instrumento MSG/SEVIRI e é gerado diariamente com base num esquema iterativo com uma janela temporal de cinco dias. O produto FAPAR é expresso na faixa de 0% a 100%, não apresentando valores nos pixeis cobertos por nuvens. A incerteza derivada das variações dos ângulos de visão/sol e dos efeitos anisotrópicos da refletância da superfície é corrigida pela utilização da mesma geometria para todo o disco SEVIRI. O produto FAPAR inclui verificação de qualidade de rotina e estimativas de erro.