Erupção do Cumbre Vieja

Vulcão "La Cumbre Vieja" (créditos: Desiree Martin/AFP)2021-09-20 (IPMA)

Depois de 8 dias de crise sísmica intensa, verificou-se a partir de 19 de setembro a erupção do vulcão “La Cumbre Vieja” com pelo menos sete fontes de lava. Medições de interferometria radar pelo satélite SENTINEL apontam para uma inflação de cerca de 15 cm, como resultado de uma intrusão magmática perto da superfície.

Pelo menos 5000 pessoas foram já retiradas da zona próxima, estando o Instituto Volcanológico das Canárias e a Agência Estatal de Meteorologia de Espanha a acompanhar o impacto da erupção.

De acordo com o Instituto Volcanológico das Canarias as primeira avaliações da descargas de lava apontam para valores de 700 m/hora com temperaturas superiores a 1000 Celsius. As emissões de dióxido de enxofre são agora avaliadas entre 6000 e 9000 toneladas/dia. A anomalia térmica mais intensa foi avaliada em 2828 MW, tendo decrescido a partir de ontem.

No que diz respeito à Região Autónoma da Madeira, irá manter-se até quarta-feira vento do quadrante norte, pelo que o transporte de CO2 e SO2 não deverá ser significativo. Contudo, a partir de quarta-feira está previsto a rotação do vento, que passará para o quadrante sul pelo, pelo que poderão ocorrer alterações da qualidade do ar.

A ultima erupção do Cumbre Vieja ocorreu em 1971 e teve a duração de 24 dias, entre 26 de outubro e 18 de novembro. Contudo, erupções anteriores apresentaram durações mais significativas.

 

Imagens associadas

  • Vulcão "La Cumbre Vieja" (créditos: Desiree Martin/AFP)

    Vulcão "La Cumbre Vieja" (créditos: Desiree Martin/AFP)