Noticias

Estação Piloto de Piscicultura de Olhão

CoLABs

Projetos

Espécies na EPPO

Financiamento

A actividade científica na EPPO é financiada por:

Mero – Epinephelus marginatus

Mero (Epinephelus marginatus)

EN- grouper; FR –mérou; SP – mero moreno;

NL – Tandbaars; DE - Brauner Zackenbarsch

É uma espécie solitária e territorial, típica de zonas rochosas. São curiosos e afáveis, criando facilmente laços com os mergulhadores, sendo por isso muito valorizadas para o turismo sub-aquático.

O mero é uma espécie hermafrodita sequencial, atingindo a maturação sexual como fêmeas e convertendo-se em machos por volta dos 10 a 16 anos (70 a 80 cm de comprimento). A maturação sexual no meio selvagem ocorre entre os 5 e os 7 anos de idade. Podematingiros 60 Kg e viver atéaos 50 anos.

Em Portugal a espécie apresenta uma distribuição ao longo de toda a costa, sendo mais comum na região dos Açores. Ocorre ainda no Mediterrâneo, Norte de África e Atlântico sudoeste. A espécie é um alvo importante da pesca comercial, desportiva e de mergulho e dado a sua baixa resiliência e grande vulnerabilidade está na lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) como espécie ameaçada

Fases de desenvolvimento do mero

Na EPPO a investigação com esta espécie teve início por volta do ano 2000, quando se pretendeu avaliar o potencial de cultivo do mero com o objectivo de se estabelecerem programas de repovoamento em zonas rochosas da costa algarvia (Projecto RESTOCK). Através de outros projectos de investigação e em colaboração com a Universidade do Algarve, deram-se os primeiros passos na captura e manutenção em cativeiro de exemplares desta espécie.

Através de projectos de investigação e em colaboração com a Universidade do Algarve, deram-se os primeiros passos na captura e manutenção em cativeiro de exemplares desta espécie.

Ao longo dos anos desenvolveram-se protocolos para controlo da época de postura e obtenção de ovos, e cultivo de larvas e juvenis de mero. Avaliou-se a qualidade dos gâmetas e desenvolveram-se protocolos de criopreservação de sémen em colaboração com outras instituições.

Actualmente na Estação Piloto de Piscicultura de Olhão existem dois lotes de reprodutores de mero num total de 8 reprodutores com um peso médio de 6,5 kg. Os tanques têm abrigos e estruturas a imitar algas, as quais servem de esconderijo e refúgio, uma vez que são muito territoriais.

Mero (Epinephelus marginatus) Fig.1: Imagem da fase Eclosão – 1 dia.

Mero (Epinephelus marginatus)Fig.2: Imagem da fase Pré-flexão – 8 dias.

Mero (Epinephelus marginatus)Fig.3: Imagem da fase Pós-flexão – 16 dias

Mero (Epinephelus marginatus)Fig.3: Imagem da fase Juvenil – 30 dias